quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Mote: Responde destino ingrato Qual foi o mal que eu te fiz.



A miséria me corteja

Nos transes da dura sorte

O vento gélido da morte

A minha porta forceja

O beija flor que me adeja

Não traz mensagem feliz

A ventura não me quis

E é surda a porta que eu bato

Responde destino ingrato

Qual foi o mal que te fiz?

Teodoro Nunes da Costa



Quando Castelo Branco tomou posse deram um mote : Um Branco Tomando posse E outro tomando cana, e Sebastião Branco glosou:



Castelo Branco a tomar

Posse com todo prazer

E esse branco a beber

Cachaça de bar em bar

Um branco a nos ajudar

E o outro na carraspana

Buscando a vida mundana

Que traz a morte precoce

Um branco tomando posse

E o outro tomando cana.



Um dia ele esculhambou a cidade de Teixeira



Teixeira terra sem homem

Terra sem luz sem prefeito

Onde as razões do direito

Ente o poder se consomem

Onde as cobras, cobras comem

Onde a miséria perdura

Onde o lixo se amuntura

Pelas ruas da cidade

E onde a palavras verdade

Teve a sua sepultura.




sexta-feira, 18 de novembro de 2011