sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Na mesma moeda

Tratei tantas com desprezo
Que agora estou desprezado
E nas vítimas do meu passado

Até hoje eu vivo preso;
Pensei: Vou sair ileso,
Dos erros que cometi
Mas foi então que eu vi
Semelhança em minha queda
Porque na mesma moeda
O desprezo eu recebi.


Sorri das dores alheias
Pisei em mil sentimentos
Só queria os monumentos;
As modelos; as sereias;
Zombei de todas as feias
No meio do vai e vem;
Veio um castigo do além;
Pras minhas ações malditas
Nem feias e nem bonitas
Hoje eu vivo sem ninguém.


Por causa dessa arrogância
De analisar só por fora;
Eu estou sofrendo agora
Pela minha ignorância, 
Mesmo assim eu sinto a ânsia
De viver outra paixão;
Vivendo a desilusão
E soluçando a minha dor 
Imploro esmolas de amor
Que nem a feias me dão.


Sabe aquelas cartas ? rasgar não consigo;
Sabe aquele sonho ? eu pus num caderno;
Sabe aquele amor ? botei no inferno;
Porque mulher falsa não quero comigo;
Paguei meus pecados com o seu castigo;
Mas agora eu sei a pessoa que és;
Qualquer dia eu vou pegar os papéis;
Que tu entregastes me fingindo amor;
Eu vou amassá-los com ódio e rancor
E depois eu vou, jogar nos seus pés.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

A NATUREZA, Autor: RAFAEL NETO

A natureza é divina
Em toda a sua estrutura
Flora verde, céu azul,
Dia claro, noite escura,
Fonte fria, terra quente,
Lama mole e rocha dura.

O prado tem formosura
E o polo norte é gelado
Lago raso, poço fundo,
Peixe inçosso, mar salgado,
Serra alta, vale baixo,
Grama seca e chão molhado.

Mato inteiro e pau quebrado
Nuvem cinza, lua clara,
Flor cheirosa, estrume podre,
Vidro feio e joia rara
Pedra seca, bosque lindo
Leite bom e vaca cara.

A planta enrosca na vara
E cresce toda enganchada
Solo embaixo, fruto em cima,
E a flor no meio enrolada,
Vem à ave fura a fruta
Murcha a flor e fica nada.

Ave voa, peixe nada,
Gato pula, cobra pica,
Camaleão muda a cor
Abre à boca, a língua estica,
Pega inseto, morde, engole,
Para se camufla e fica.

Nossa natureza é rica
E muita gente explora a mina
Tanta rocha, pouco homem,
Serra grande, gruta fina,
Dinamite, fogo, estouro,
Ouro, jade e turmalina.

Galho grosso, folha fina,
Vento brando e sol ardente
Ave linda, pena leve,
Bico fino, voz potente,
Fel amargo, fruta doce
Água fria e pedra quente.

Lodo turvo, rio corrente,
Tronco, folha, fruto e cacho
Flor aberta espinho fechado
Limo, cascalho e riacho,
Peixe longo, escama fina

Vara em cima anzol embaixo.