quinta-feira, 25 de julho de 2013

Homenagem a Dominguinhos Autor : Rafael Neto.






Homenagem a Dominguinhos 
Autor : Rafael Neto

O nosso Brasil em peso
Triste de luto se veste
Dominguinhos já partiu
Foi para mansão celeste
Deixando eternas saudades
No coração do nordeste.

Grande gênio do nordeste
Que escreveu sua saga
Aos oito anos de idade
Conheceu Luiz Gonzaga
E quando o rei faleceu
Ele assumiu sua vaga.

Sua história não se apaga
Que este gênio do sertão
Foi um discípulo atuante
Do nosso rei do baião
Divulgando no Brasil
Xote, xaxado e baião.

Com a sanfona na mão
Ganhou mais de um troféu
A nossa constelação
Agora ficou ao léu,
Uma estrela da terra
Partiu pra brilhar no céu.

Da sanfona e do chapéu
Ele nunca se apartou
Mas a morte traiçoeira
Veio agora e separou
A sanfona do artista
Que muito nela tocou.

A TV noticiou
Pro desespero de Exu
Que o seguidor de Luiz
Foi também pro barro cru
E fica somente a lembrança
Da voz deste irapuru.

O grande astro de Exu
Foi mais deixou um museu
Primeiro morreu Luiz
E agora um discípulo seu
E quem tocará na sanfona
Que Luiz Gonzaga deu.

Um câncer lhe ofendeu
Ai chegou sua vez,
Ele morreu em São Paulo
Lá no Sírio-Libanês,
Julho de dois mil e treze
Terça feira, vinte e três.

Vou lembrar o que ele fez
Com a sanfona estimada
Agora ele esta no céu
Visitando um camarada
Deus ta levando os artistas
Deixando a terra sem nada.



EU QUERENDO TAMBÉM FAÇO IGUALZINHO A ZÉ LIMEIRA...

Um temporal no deserto 
O seco todo ensopado 
Redondo quadriculado 
O longe mais do que perto 
O errado estando certo 
O shopping igual uma feira 
A mesa é uma cadeira 
E o gomo é um bagaço 
Eu querendo também faço 
Igualzinho a Zé Limeira

(Bruno Vinicius)



DE SEGUNDA A SÁBADO DÁS 17:00 ÁS 18:00 HORAS NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM 104,9 O PROGRAMA A VOZ DO SERTÃO ... COM RAFAEL NETO (SOBRADINHO-BA)