segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Fotos

BULE BULE E O PRESIDENTE LULA
REPETISTAS CANTANDO PARA O SENADOR JOSÉ AGRIPINO
BULE BULE O CANTADOR DA BAHIA
IVANILDO VILA NOVA O REI DO REPENTE
BULE BULE.

VIVA A VIOLA!!



O paraibano Antonio Tenório Cavalcante, mais conhecido como Paraíba da Viola, poeta, repentista, folheteiro e Presidente da Ordem Brasileiro dos Poetas de Literatura de Cordel, hoje, 25/07/2010, completou 68 anos e, com certeza, é mais baiano que paraibano. Chegou por estas bandas em 1975 e se instalou na cidade de Conceição do Coité onde constituiu família e se estabeleceu como poeta, após ser pedreiro, eletricista e carregador. Sua fama corre mundo e sua banca de folhetos situada na Praça Cayru é a maior referência da Literatura de Cordel na Bahia.

IX FESTIVAL DE VIOLEIROS E REPENTISTAS DE SALVADOR









Aconteceu no dia 24 de outubro, sábado, a partir das 20 horas, o IX FESTIVAL DE VIOLEIROS E REPENTISTAS DE SALVADOR, em homenagem a Papada e com apoio da FPC, OBPLC e Sindicato dos Comerciários, no Espaço Cultural dos Comerciários, em Nazaré. Paraíba da Viola, atual presidente da Ordem dos Poetas da Bahia, iniciou falando das dificuldades para a realização do evento e da condução da bandeira do Cordel na Bahia, que não é uma tarefa só dele, mas de todos os poetas.

Bule-bule assumiu o comando do evento para que Paraíba participasse da peleja. Com sua costumeira animação anunciou os membros da comissão julgadora e enumerou as duplas concorrentes aos 10 Troféus expostos na mesa. Participaram do evento, as seguintes duplas:
Caboquinho e João Ramos; Zé Pedreira e Leandro; Antonio Queiroz e Beija-Flor; Paraíba da Viola e Davi Ferreira; Nadinho e Antonio Maracujá; Bráulio Pinto e Rui Aboiador; e, Zé Francisco e Lucas de Oliveira. A festa foi finalizada com o Grupo de Samba Raízes do Sertão.

Seis duplas disputam 35º Festival de Violeiros do Nordeste



Pela 35ª vez, acontece neste sábado, 29, a partir das 20 horas, o Festival de Violeiros do Nordeste, na área cultural do Mercado de Arte Popular. A entrada é fraqueada ao público.
O objetivo principal do festival que transforma Feira de Santana na "Capital do Repente" é preservar a poesia popular. Os cantadores entram em "batalha" verbal com rimas, motes, improvisos, sextilhas e repentes.
O tradicional evento é realizado pela Associação dos Violeiros e Trovadores da Bahia (AVTB), com apoio da Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, e da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), através do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca).
Vão participar as seguintes duplas:
Caboquinho e João Ramos, de Feira de Santana
Leandro Tranquilino, de Candeal, e Antônio Queiroz, Serrinha
Vem-Vem do Nordeste, Sergipe, e Galego da Viola, de Pernambuco
Gilberto Alves e Noel Calixto, de Alagoas
Fenelon Dantas e Heleno Feitosa, da Paraíba
Paraíba da Viola e Nadinho, de Riachão do Jacuípe.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A poesia esta no sangue...





Folha Sertaneja - Paulo Afonso - BA
14/04/2009 - 17:38

Rafael Neto se apresenta no Festival de Violas e Repente em Paulo Afonso

Rafael Neto entre Gilberto Alves e Zé Viola. Vai acontecer dia 24 de abril um Encontro de violeiros em Paulo Afonso. Deram ao evento o nome de Festival de Violas e Repente e dele participam apenas três poetas repentistas: Gilberto Alves, Zé Viola e o jovem Rafael Neto.

Pode parecer coisa pequena para quem já viu e vai voltar a ver dentro de algum tempo os grandes Festivais de Repentistas que já aconteceram por aqui, com Ivanildo Vila Nova, João Paraibano, Valdi Teles, Louro Branco e tantos nomes da nossa cultura popular, mas é um recomeço importante, do resgate desse espaço.

Em 2008, o projeto Na Mala do Poeta tem poesia de todo jeito levou às ruas, dezenas de poetas, declamadores, músicos e violeiros que encheram de alegria a pracinha do Coreto da cidade. A idéia nasceu de uma monografia de Jotalunas do seu curso de Letras da Faculdade Sete de Setembro.

Mas a proposta de levar a música, o entretenimento, o lazer, a poesia para as ruas vem de longe, desde os tempos do Pastoril, das atuações do Grupo Curicaca, criação da Professora Lúcia Teixeira que interpretava as histórias dos cordéis nordestinos nas ruas da cidade.

O professor Reginaldo, em sua disciplina de Artes na Uneb também levou seus alunos a produzirem espetáculos além dos muros da universidade.

Mais recentemente a professora Glória Lira, do Departamento de Cultura da Secretaria de Turismo da Prefeitura de Paulo Afonso promoveu um encontro de artistas da cidade e um bom público esteve no Lindinalva Cabral prestigiando o evento que era a abertura de oficinas de criação, em vários estilos, com grande número de inscritos.

E o que se vê todos os anos é o grande número de estudantes talentosos, de todos os colégios da cidade, produzindo shows e eventos culturais, focando, principalmente, a arte nordestina da dança, do canto, da música e o cordel, os repentistas começam a merecer o destaque que precisam ter.

Voltando à Mala do Poeta, ao fim de seis apresentações na Praça do Coreto, os organizadores do evento, Luiz Ruben e Jotalunas, produziram um livro reunindo os poetas que estiveram ali, declamando versos, criando poesia. Dentre estes estava o jovem Hélison Rafael Neto, neto do Poeta de Cristo, um dos seus maiores incentivadores.


O jovem poeta que está agora com 17 anos e conclui o ensino médio no Colégio Carlina Barbosa de Deus tem marcado presença em eventos culturais da cidade e da região. Descobriu esse dom da poesia ainda menino quando estudava no Colégio Tobias Barreto, em Aracaju e não parou mais.

Embora nascido na capital sergipana, porque, segundo seu avô, sua mãe teve uma gravidez complicada e mereceu cuidados especiais, mora em Paulo Afonso. Já produziu dezenas de folhetos de cordel “em dez estilos diferentes”, diz o avô, que acrescenta: “Ele já participou de 56 eventos culturais, em colégios, universidades, nos clubes sociais da cidade”.

Um dos que investe e se mostra preocupado com esse pedaço da cultura sertaneja é o empresário Sebastião Leandro de Morais, do Supermercado Suprave que tem um carinho especial por Rafael Neto, a quem ele chama de “Poetinha de Cristo”. Para apoiar o jovem poeta, Sebastião deu-lhe um emprego de menor aprendiz na Suprave, comprou pra ele uma viola e apóia e promove eventos com a participação do Rafael.

De viola em punho, Rafael Neto ousa vôos mais altos e se apresenta ao lado de outros repentistas, consagrados pelas suas caminhadas no Nordeste.

O próximo encontro será no dia 24 de abril, a partir das 19 horas, no auditório do Sinergia (rua Floriano Peixoto, atrás da Gráfica Fonte Viva).

Ali o Rafael Neto vai estar ao lado de Gilberto Alves e de Zé Viola, grandes repentistas nordestinos. “Para que isso aconteça, diz o empolgado Poeta de Cristo, o avô, tem sido grande a correria na busca de apoio. Além de Sebastião, da Suprave, que nos tem apoiado sempre, estamos contando com o apoio da Prefeitura de Paulo Afonso, da Chesf, da FS Copiadora e de outros amigos, como a Folha Sertaneja, nessa caminhada".

Que bom! A poesia popular está retomando seu espaço!

“Banhando com o sal do pranto / As feridas da saudade”

O tempo vem rasgando

Em alta velocidade

E vem deixando a saudade

Do tempo que vai passando

A velhice vem chegando

Com uma voracidade

Vem tirando a liberdade

De alguém que viveu tanto

Banhando com o sal do pranto

As feridas da saudade. (Rafael Neto)
"De repente" ainda se vive





Ana Bárbara Figueiredo


O repente é uma arte com vários séculos de existência e especialmente no Brasil tem uma maior presença na região Nordeste. Esta tradição folclórica, com o passar dos anos, foi perdendo força e, hoje, principalmente os jovens não conhecem e não sabe a sua importância, o mercado musical tem as portas praticamente fechadas para esta arte. Apesar destas dificuldades, a tradição vem sendo mantida e em Feira de Santana, especificamente, os irmãos Caboclinho e João Ramos são os grandes expoentes e principais divulgadores na região.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

...

De ataque do coração
Eu sei que não vou morrer
Porque eu fui programado
Pra viver no desprazer
E o meu coração foi feito
Somente para sofrer.

24/11/2010
02:09 AM

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Estrofes

SONHADOR

Você já me disse que não vai ser minha
Mas no meu sonho eu posso te amar
Ai quem me dera um sono profundo
Para eu viver, somente a sonhar
Mesmo que o sonho seja uma ilusão
Mas se você for a minha paixão
Eu nunca mais, queria acordar.

Eu tive um sonho inacreditável,
Mas isso é verdade pode acreditar
Que eu fui ao céu e peguei um pedaço
De uma estrela que estava a brilhar
Fiz pra você um anel multicor
E você dizia foi o meu amor
Que tirou do céu pra me presentear.

Eu vou viver sonhando para te amar
Eu quero morrer sendo um sonhador
E se te amar não tiver perdão
Deus tenha pena, desse pecador
Porque esse amor não é impossível
E o impossível se torna possível
Se você der chance para o meu amor.

20/11/2010
Rafael Neto.


MORENINHA

Ô MORENINHA EU SOFRO DESSE JEITO
PORQUE NÃO POSSO RANCÁ-LA DO PEITO
E A MINHA ALMA MUITO TE ADMIRA
EU POSSA ACHAR MORENAS PELA RUA
MAS EU NÃO ACHO QUEM SUBSTITUA
A MORENINHA QUE SEMPRE ME INSPIRA.

20/11/2010
Rafael Neto.

Poesias

Bicho paixão

O homem domina um tigre veloz,
Um touro valente, ou um elefante,
Um camelo bruto, um urso gigante,
Ou um javali que é muito feroz,
A ave silvestre que tem boa voz,
Serpente, iguana ou camaleão,
Girafa, hiena, búfalo, leão,
Onça, jumento, cavalo e jaguar,
Duvido é o homem tentar dominar
O bicho feroz chamado paixão.

10/09/2010
Rafael Neto.




Pensei...

Pensei ter achado a cara metade
A tampa perfeita pra minha panela
Gamado de amor eu só penso nela
Pensando achar nela a felicidade.

Eu não tive ainda oportunidade
De falar aquilo que sinto por ela
Queria um sinal, que da parte dela
Me desse vigor e voracidade.

Veneno de amor eu sei que é fatal
Mas dela eu queria apenas um sinal,
Que ela me quer como eu quero ela.

Pra eu dizer tudo que eu tenho guardado
Fazer dos meus sonhos o meu seriado
E da vida real a nossa novela.

09/09/2010
Rafael Neto.

Coração de poeta...

É um louco de ilusões,
Um lúcido nas loucuras,
Um ébrio nas amarguras,
Um sábio nas emoções,
Um besta nas sensações,
Um arquiteto sem meta,
Que planeja e que projeta,
Porém só cai no sufoco,
Tudo isso e mais um pouco
É o coração do poeta.

19/11/2010
Rafael Neto

Desabafo

O sono não vem o frio me consola
Eu não mato o frio, pois o que me enrola
É o meu cobertor molhado de pranto,
Porém eu não quero matar esse frio,
Eu quero matar esse amor doentio
Porque esse amor me maltrata tanto.

De dia eu não como, de noite eu não janto
Meu café é choro, meu almoço é pranto,
Eu vivo fazendo jejum de amor,
Já desabafei com meu travesseiro
Se ele te contar o meu desespero
Você vai provar dessa minha dor.

Eu cansei de ser mais um sonhador
Sonhar com o riso, acordar com a dor,
Não é meu intuito pode ter certeza,
Eu fiquei perdido no seu labirinto,
Do pão do amor sou mais um faminto
Porque esse pão me falta na mesa.


10/09/2010
Rafael Neto.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

versos

Cego Aderaldo uma vez cantando em uma estação de tren em Fortaleza com um poeta, que sabia que Cego Aderaldo Tinha Criado Muiitos Fiilhos, Mas Nunca Tinha Querido Casar-se.. O Poeta Termina Uma Sextilha Assim:


Eu Não Sei Porque Esse Cego
Nunca Penssou Em Casar..

Esbanjando Inteligencia, E Com Uma Velocidade, Tão Grande De Raciocinio, Cego Aderaldo Pega Na Deixa e Responde :

EU JÁ PENSSEI EM CASAR
FALO A VERDADE NÃO NEGO
MAS COM A MINHA EXPERIENCIA
BATATA QUENTE NÃO PEGO
QUEM TEM VISTA LEVA CHIFRE
IMAGINE EU QUE SOU CEGO...
Oliveira de Panelas

domingo, 14 de novembro de 2010

VALDIR TELES E GILBERTO ALVES FESTIVAL
VALDIR TELES E GILBERTO SANTANA DO IPANEMA

sábado, 13 de novembro de 2010

VERSOS

Nossa vida é uma estrada
Que tem flor e tem espinho,
Pra quem caminha sozinho
É mais triste a caminhada.
Pode ela ser comparada
A um trem que da partida,
E a cada estação vivida
Outra estação se avizinha;
O trem da vida caminha
Pra última estação da vida

José Alves




Poeta HELENO ALEXANDRE:
Disse;

QUEREMOS QUE OS GOVERNANTES
VEJAM NOSSAS QUALIDADES
NOS DÊEM OPORTUNIDADES
NAS FESTAS MAIS IMPORTANTES
MAIS INCENTIVOS QUE ANTES
NA MÍDIA MAIS COBERTURA
PARA A GERAÇÃO FUTURA
NÃO SE SENTIR TÃO CARENTE
QUEREMOS DAQUI PRA FRENTE
MAIS ESPAÇO PRA CULTURA

VAMOS FAZER UM APELO
PRA IMPRENSA DIVULGAR
QUE A ARTE POPULAR
SEJA VISTA COM MAIS ZELO
SE PRECISAREM UM MODELO
DAREMOS A PARTITURA
VAMOS LUTAR COM BRAVURA
POR UM DIREITO DA GENTE
QUEREMOS DAQUI PRA FRENTE
MAIS ESPAÇO PRA CULTURA

NOSSA CANTORIA ESTÁ
TENDO VALOR NAS ESCOLAS
MAS POR CAUSA DAS VIOLAS
TEM UM GRUPO QUE NÃO DÁ
UM PRECONCEITO INDA HÁ
SE O POETA É SEM LEITURA
MAS MESMO SEM FORMATURA
É UM DOUTOR NO REPENTE
QUEREMOS DAQUI PRA FRENTE
MAIS ESPAÇO PRA CULTURA

NOS LEVEM A TELEVISÃO
NOS MOSTREM A TODO BRASIL
NO PROGRAMA RAUL GIL
NO GUGU OU NO FAUSTÃO
SE HEBE NOS DER A MÃO
DEUS NA MÃO DELA SEGURA
MAS ARTE QUANTO MAIS PURA
MAIS DA MÍDIA FICA AUSENTE
QUEREMOS DAQUI PRA FRENTE
MAIS ESPAÇO PRA CULTURA




Se não for pra andar sempre ao seu lado
Eu prefiro ficar sem movimento
Se não for pra lhe ter no pensamento
Eu prefiro que me deixe internado
Numa clinica psíquica isolado
Sem nenhuma visita receber
E se um dia isso vir a acontecer
O meu amor por ti sei que não nego
Sou capaz de pedir pra ficar cego
Se eu olhar pra o mundo e não te ver.

Poeta: Arles - Tabira





No Tribunal do Amor
Sou o réu e sou culpado.

(Mote de Josemar Rabelo)

Perdi em última instância
Em tudo que recorri,
Pois o peito que feri
Foi um amor da infância.
Devido a minha arrogância
Deixei esse amor de lado,
Hoje estou sendo julgado
Sem direito a defensor.
No Tribunal do Amor
Sou o réu e sou culpado.

Pois cada lágrima vertida
Por esse amor tão antigo,
Foi agravante no artigo
Da sentença proferida.
No momento que foi lida
Notei que cada jurado
Tinha me considerado
Como o pior malfeitor.
No Tribunal do Amor
Sou o réu e sou culpado.

A cada dia que vivo
Na prisão da consciência
Vejo que há evidência
Do alegado motivo
Que fez de mim um cativo
Sem que eu seja um celerado.
Só o Santo advogado
Pode escutar meu clamor.
No Tribunal do Amor
Sou o réu e sou culpado.

Autor: Wellington Vicente.

Fotos de poetas do passado

MANÉ XUDU E PEDRO AMORIM






Fotos de poetas do passado










OTACÍLIO E DIMAS




Fotos de poetas do passado






OTACÍLIO BATISTA E CLODOMIRO PAES

DIMAS-LOURIVAL E PINTO




Fotos de poetas do passado


CANHOTINHO
LOURO E OTACÍLIO
ARIANO SUASSUNA E LOURO