quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Soneto: Eu sou rico e pobre.


Soneto: Eu sou rico e pobre. Autor: Jonas Bezerra


Na riqueza eu vivo como um egoísta
Usando o poder pra atrocidade.
Não sou a favor que haja igualdade
Por que sigo a lógica de um capitalista.


Na pobreza eu mudo, faço caridade
Sou simples, sou meigo, brando, paisagista...
Acredito que outra vida exista
Cultivando os frutos da felicidade.


Eu sou mais ser pobre que sofre e partilha
Do que ter riqueza fazendo quadrilha
Enganando o povo e se mostrando nobre.


Perante isso tudo há uma certeza:
Eu sou muito pobre para ter riqueza
E sou muito rico por que nasci pobre.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

VIVA A POESIA POPULAR...

JOÃO PARAIBANO E VALDIR TELES









JUBILEU DE OURO DO POETA SEBASTIÃO DA SILVA











Cantoria na JOCUM base de SERGIPE

Bruno e Eu
Meus trabalhos poéticos
Platéia
Eu e Bruno
Eu e Bruno





Show em Feira de Santana

Eu e Bruno
Platéia
Eu e Bruno
Eu e Bruno
Caboquinho e Eu

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

...

Tive um sonho essa noite, tão feliz
Que eu sorria e pulava de contente
Deus rodou um filminho em minha mente
Onde eu era o ator e ela atriz,
Pelo menos no sonho ela me quis
Só que acordo e não tenho mais a ela
A saudade prendeu-me em sua cela,
Ter sonhando aumentou meu sofrimento
Outro sonho daquele eu não agüento
Que é capaz de eu morrer com a falta dela.


Autor desconhecido...

domingo, 12 de dezembro de 2010

...

Se esse meu coração não me matar
Vai deixar no meu corpo uma seqüela,
Porque ele só bate para ela,
E sem ela, ele não quer trabalhar
E se ela de mim se aproximar,
Ele bate com mais velocidade
E fica lento a bater contra á vontade
Na semana que eu não avisto ela
Se eu morrer de amor a culpa é dela
Que só quer ter comigo uma amizade.

autor: Rafael Neto 13/12/2010

sábado, 11 de dezembro de 2010

Rafael Neto e Bruno Vinícius

Cantoria feita no dia do operador...




Cantoria Feita na Escolinha Modelo Reduzido da Chesf




quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Homenagem Aos Escritores De Paulo Afonso No Monte Artes.








No dia 13 de novembro de 2010 o Colégio Montessori, durante o IV Monte Artes, fez uma homenagem a alguns artista de Paulo Afonso, No momento foram homenageados o Escritor João de Sousa Lima, o Poeta Repentista Rafael Neto e a Escritora-Poetisa Jovelina Ramalho.

SONETO: HELENA

EM ESPARTA, VOCÊ NUNCA MOROU,
ONDE FOI O REINADO DE ARQUELAU,
E NÃO É A QUE PÁRES RAPTOU,
PROVOCANDO UMA IRA EM MENELAU,

MENELAU COM VOCÊ NUNCA CASOU,
NEM VOCÊ FOI RAINHA DE REI MAU,
O QUE ULISSES NA GUERRA LHE AJUDOU,
ENVENTANDO UM CORCEL TODO DE PAU,

SE ADENTRANDO AO LADO DOS AMIGOS,
MANDOU QUE LHE ENTREGASSE AOS INIMIGOS,
JÁ CRIANDO O FINAL D'AQUELA CENA,

VOCÊ É UMA HELENA DIFERENTE,
SÓ VOCÊ COM SEIS LETRAS FAZ A GENTE,
SEM SER REI, QUERER SER O REI DE HE-LE-NA!

AUTOR: ACRÍZIO DE FRANÇA


Diniz Viturino Gênio Que Morreu Mas Ficou Imortalizado Na Lembrança De Um Povo Que Muito Ouviu Seus Repentes...

Nunca mais fui a congressos
Onde tem falsos jurados
Para não ver os sargentos
Que ja foram meus soldados
Querendo cuspir em cima
Dos maus galões desbotados.

Eu pensei que os meus versos
Fossem ganhar mais afetos
Mas vejo eles da forma
De pequeninos insetos
Esmagado pelo peso
Dos pés dos ananfabetos.

Diniz Viturino

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

POETAS DA NOVA GERAÇÃO

JOÃO LÍDIO E CICERO JUSTINO

DJAIR OLÍMPIO E NOGUEIRA
CICERO COSME E LENILDO RIBEIRO

JONAS BEZERRA E GEIWAN PEREIRA




DEUS É TÃO BOM QUE NÃO DEIXA A POESIA MORRER, QUANDO OS VETERANOS MORREM NASCEM OUTROS PARA ARTE CONTINUAR...

E O REPENTE NÃO VAI SE ACABAR PORQUE A GENÉTICA POÉTICA ESTA CORRENDO EM MUITAS VEIAS...










segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

VIVA O REPENTE NA BAHIA FESTIVAL QUE ACONTECEU EM FEIRA DE SANTANA EM 2009

CANTADORES REPENTISTAS

HELENO FEITOSA E FENELON DANTAS

LENDRO TRAQUILINO E ANTONIO QUERIOZ


BULE BULE E CABOQUINHO

PARAIBA DA VIOLA E NADINHO

GALEGO DA VIOLA E VEM VEM DO NORDESTE

JOÃO RAMOS E CABOQUINHO

NOEL CALIXTO E GILBERTO ALVES

36º Festival de Violeiros do Nordeste em Feira de Santana


Aconteceu no dia 04 de dezembro de 2010 o 36º Festival de Violeiros do Nordeste em Feira de Santana no Mercado de Artes.

Concorreram as duplas:



PARAIBA DA VIOLA E RAFAEL NETO 4º LUGAR



NADINHO E ANTONIO MARACUJÁ 3º LUGAR



VEM VEM DO NOSDESTE E GILBERTO ALVES 2ºLUGAR


LEANDRO TRANQUILINO E ANTONIO QUEIROZ 1º LUGAR


JOÃO RAMOS E CABOQUINHO DA BAHIA APRESENTAÇÃO ESPECIAL


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

FAZER DE IMPROVISO É PRA QUEM TEM O DOM!!

RAFAEL NETO
JONAS BEZERRA

CABOQUINHO E JOÃO RAMOS





O REPENTE IMPROVISADO É UMAS DAS MAIORES MANIFESTAÇÕES POPULARES DO NORDESTE, E JÁ SE CHAMA REPENTE POR SER FEITO DE REPENTE, OS POETAS POPULARES SE ENFRENTAM EM DESAFIOS INTERMINAVEIS DE RIMAS E ISSO NÃO É BRINCADEIRA, ISSO É PRA QUEM TEM O DOM DE FAZER BONITO E NA HORA...


REPENTE NÃO TEM IDADE, NEM COR, NEM CLASSE FINACEIRA, DINHEIRO NÃO COMPRA ESSE DOM, ISSO É UMA DÁDIVA DIVINA DADA POR DEUS...


''POETA É AQUELE QUE TIRA DE ONDE NÃO TEM E COLOCA AONDE NÃO CABE''

''PINTO DO MONTEIRO" O MAIOR CANTADOR DE TODOS OS TEMPOS!!!

"REPENTE NÃO TEM IDADE PODE SER VELHO OU NOVO"

HABILIDADES LINGÜÍSTICAS





Ann Dowker Peter
E. Bryant
Universidade de Oxford


Investiga a relação entre as habilidades lingüísticas e a arte do
repente, em sujeitos repentistas (violeiros ou cantadores), poetas orais encontrados
no Nordeste do Brasil, muitos dos quais têm uma escolaridade
limitada. Vinte repentistas e dezoito não-repentistas com faixa etária, escolaridade
e nível sócio-econômico semelhantes foram examinados em um
conjunto de tarefas envolvendo produção de rimas, segmentação fonológica,
memória de listas de palavras e velocidade de leitura. Os repentistas produziram
um número de rimas quatro vezes superior aos não-repentistas, além de
apresentarem uma velocidade superior na produção da primeira rima. Nas
outras tarefas, os dois grupos de sujeitos não diferiram de modo significativo.
Assim, a habilidade dos repentistas parece ser ao mesmo tempo altamente
desenvolvida e especializada, Estas descobertas corroboram o ponto de vista de
que possam, haver dissociações entre rima e algumas outras habilidades
lingüísticas, como a segmentação fonológica, assim como aparentemente não
existe uma relação direta entre a educação formal e o desenvolvimento de
habilidades culturalmente informais.



A imagem convencional de um poeta é a de uma pessoa altamente
letrada e educada, que se senta a escrever versos, com uma prolongada e cuidadosa reflexão. A poesia, de acordo com essa
visão, é, predominantemente, uma forma escrita; as suas características
orais são secundárias. Apesar disso, há muitos poetas que compõem e
apresentam seus poemas oralmente, mesmo sendo completamente
incapazes de ler e escrever ou fazendo-o de modo muito limitado, o que,
ainda assim, não os impede de criar poesia altamente sofisticada. Este
estudo envolve um grupo desses poetas.