terça-feira, 1 de setembro de 2015

Pra despedaçar as angustias presas
Que me sufocavam tapando a garganta
Eu regurgitei palavras coesas
Pra não perverter uma alma santa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário