quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A poesia esta no sangue...





Folha Sertaneja - Paulo Afonso - BA
14/04/2009 - 17:38

Rafael Neto se apresenta no Festival de Violas e Repente em Paulo Afonso

Rafael Neto entre Gilberto Alves e Zé Viola. Vai acontecer dia 24 de abril um Encontro de violeiros em Paulo Afonso. Deram ao evento o nome de Festival de Violas e Repente e dele participam apenas três poetas repentistas: Gilberto Alves, Zé Viola e o jovem Rafael Neto.

Pode parecer coisa pequena para quem já viu e vai voltar a ver dentro de algum tempo os grandes Festivais de Repentistas que já aconteceram por aqui, com Ivanildo Vila Nova, João Paraibano, Valdi Teles, Louro Branco e tantos nomes da nossa cultura popular, mas é um recomeço importante, do resgate desse espaço.

Em 2008, o projeto Na Mala do Poeta tem poesia de todo jeito levou às ruas, dezenas de poetas, declamadores, músicos e violeiros que encheram de alegria a pracinha do Coreto da cidade. A idéia nasceu de uma monografia de Jotalunas do seu curso de Letras da Faculdade Sete de Setembro.

Mas a proposta de levar a música, o entretenimento, o lazer, a poesia para as ruas vem de longe, desde os tempos do Pastoril, das atuações do Grupo Curicaca, criação da Professora Lúcia Teixeira que interpretava as histórias dos cordéis nordestinos nas ruas da cidade.

O professor Reginaldo, em sua disciplina de Artes na Uneb também levou seus alunos a produzirem espetáculos além dos muros da universidade.

Mais recentemente a professora Glória Lira, do Departamento de Cultura da Secretaria de Turismo da Prefeitura de Paulo Afonso promoveu um encontro de artistas da cidade e um bom público esteve no Lindinalva Cabral prestigiando o evento que era a abertura de oficinas de criação, em vários estilos, com grande número de inscritos.

E o que se vê todos os anos é o grande número de estudantes talentosos, de todos os colégios da cidade, produzindo shows e eventos culturais, focando, principalmente, a arte nordestina da dança, do canto, da música e o cordel, os repentistas começam a merecer o destaque que precisam ter.

Voltando à Mala do Poeta, ao fim de seis apresentações na Praça do Coreto, os organizadores do evento, Luiz Ruben e Jotalunas, produziram um livro reunindo os poetas que estiveram ali, declamando versos, criando poesia. Dentre estes estava o jovem Hélison Rafael Neto, neto do Poeta de Cristo, um dos seus maiores incentivadores.


O jovem poeta que está agora com 17 anos e conclui o ensino médio no Colégio Carlina Barbosa de Deus tem marcado presença em eventos culturais da cidade e da região. Descobriu esse dom da poesia ainda menino quando estudava no Colégio Tobias Barreto, em Aracaju e não parou mais.

Embora nascido na capital sergipana, porque, segundo seu avô, sua mãe teve uma gravidez complicada e mereceu cuidados especiais, mora em Paulo Afonso. Já produziu dezenas de folhetos de cordel “em dez estilos diferentes”, diz o avô, que acrescenta: “Ele já participou de 56 eventos culturais, em colégios, universidades, nos clubes sociais da cidade”.

Um dos que investe e se mostra preocupado com esse pedaço da cultura sertaneja é o empresário Sebastião Leandro de Morais, do Supermercado Suprave que tem um carinho especial por Rafael Neto, a quem ele chama de “Poetinha de Cristo”. Para apoiar o jovem poeta, Sebastião deu-lhe um emprego de menor aprendiz na Suprave, comprou pra ele uma viola e apóia e promove eventos com a participação do Rafael.

De viola em punho, Rafael Neto ousa vôos mais altos e se apresenta ao lado de outros repentistas, consagrados pelas suas caminhadas no Nordeste.

O próximo encontro será no dia 24 de abril, a partir das 19 horas, no auditório do Sinergia (rua Floriano Peixoto, atrás da Gráfica Fonte Viva).

Ali o Rafael Neto vai estar ao lado de Gilberto Alves e de Zé Viola, grandes repentistas nordestinos. “Para que isso aconteça, diz o empolgado Poeta de Cristo, o avô, tem sido grande a correria na busca de apoio. Além de Sebastião, da Suprave, que nos tem apoiado sempre, estamos contando com o apoio da Prefeitura de Paulo Afonso, da Chesf, da FS Copiadora e de outros amigos, como a Folha Sertaneja, nessa caminhada".

Que bom! A poesia popular está retomando seu espaço!

“Banhando com o sal do pranto / As feridas da saudade”

O tempo vem rasgando

Em alta velocidade

E vem deixando a saudade

Do tempo que vai passando

A velhice vem chegando

Com uma voracidade

Vem tirando a liberdade

De alguém que viveu tanto

Banhando com o sal do pranto

As feridas da saudade. (Rafael Neto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário