segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Poesias

Bicho paixão

O homem domina um tigre veloz,
Um touro valente, ou um elefante,
Um camelo bruto, um urso gigante,
Ou um javali que é muito feroz,
A ave silvestre que tem boa voz,
Serpente, iguana ou camaleão,
Girafa, hiena, búfalo, leão,
Onça, jumento, cavalo e jaguar,
Duvido é o homem tentar dominar
O bicho feroz chamado paixão.

10/09/2010
Rafael Neto.




Pensei...

Pensei ter achado a cara metade
A tampa perfeita pra minha panela
Gamado de amor eu só penso nela
Pensando achar nela a felicidade.

Eu não tive ainda oportunidade
De falar aquilo que sinto por ela
Queria um sinal, que da parte dela
Me desse vigor e voracidade.

Veneno de amor eu sei que é fatal
Mas dela eu queria apenas um sinal,
Que ela me quer como eu quero ela.

Pra eu dizer tudo que eu tenho guardado
Fazer dos meus sonhos o meu seriado
E da vida real a nossa novela.

09/09/2010
Rafael Neto.

Coração de poeta...

É um louco de ilusões,
Um lúcido nas loucuras,
Um ébrio nas amarguras,
Um sábio nas emoções,
Um besta nas sensações,
Um arquiteto sem meta,
Que planeja e que projeta,
Porém só cai no sufoco,
Tudo isso e mais um pouco
É o coração do poeta.

19/11/2010
Rafael Neto

Desabafo

O sono não vem o frio me consola
Eu não mato o frio, pois o que me enrola
É o meu cobertor molhado de pranto,
Porém eu não quero matar esse frio,
Eu quero matar esse amor doentio
Porque esse amor me maltrata tanto.

De dia eu não como, de noite eu não janto
Meu café é choro, meu almoço é pranto,
Eu vivo fazendo jejum de amor,
Já desabafei com meu travesseiro
Se ele te contar o meu desespero
Você vai provar dessa minha dor.

Eu cansei de ser mais um sonhador
Sonhar com o riso, acordar com a dor,
Não é meu intuito pode ter certeza,
Eu fiquei perdido no seu labirinto,
Do pão do amor sou mais um faminto
Porque esse pão me falta na mesa.


10/09/2010
Rafael Neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário