segunda-feira, 14 de junho de 2010

Poemas


Me afoguei na maré da sedução/Quando o barco do amor perdeu o rumo.



Já cruzei muitos mares caudalosos,
Porém nesse eu quase perco a vida.
Nesse barco a passagem é só de ida
Nos prazeres dos mares ondulosos,
Meus desejos carnais são poderosos
Pra tirar minha vida do seu prumo,
E pra viver ou morrer eu mesmo assumo,
Que o culpado de tudo é a paixão
Me afoguei na maré da sedução
Quando o barco do amor perdeu o rumo.



No naufrágio do barco do amor/Você foi meu colete salva-vidas.


Na borrasca da onda violenta
O barquinho do amor passava apuros,
Afundando com quatro ou cinco furos
Onde a força da onda o arrebenta.
Nesta hora você se apresenta
E me abraças, com as forças combalidas,
Me encorajas, ter fôlego sem medidas,
Pra vencermos as ondas do terror
No naufrágio do barco do amor
Você foi meu colete salva-vidas.


Rafael Neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário